domingo, 26 de maio de 2013

Oh Tolo, e o Trabalho? Onde Há?

Se chamar a alguém de tolo, estou a insultá-lo?

É que às vezes aparecem uns tolinhos a defender ideias absurdas, tais como: os desempregados não querem trabalho, querem subsídios (para os mais distraídos, não estou a ser cínico!).

E é por essas declarações que me parecem tolinhos. Pessoas de tão bons princípios, educação e formação, têm necessidade de fazer uma representação disparatada para poderem aparecem em meios de comunicação. Para mim, será a única razão para as declarações... tolinhas.

E se chamar a alguém de ingénuo, estou a insultá-lo?

Bem, mas esta última é para mim... Pois eu sou um ingénuo! Só pode...

Eu sou daqueles que não acredito que um pai e uma mãe, optem por arriscar o bem estar dos seus filhos e escolham viver de um subsídio efémero em vez de um vencimento conseguido através do seu trabalho. Ou, ainda, que tivessem optado por largar um posto de trabalho e enfrentar uma situação de desemprego, porque, isso sim, se calhar até é mais rentável. Não é, oh tolo?

Desculpem a expressão, mas estou com a "pica" toda, por isso vou continuar...

Então, querem lá ver, que andam para aí uns desgraçados, enganados, que optaram pelo desemprego na esperança que o rendimento fosse maior. Mas será que alguém acredita que o subsídio de desemprego consegue superar, em termos monetários, o valor de um ordenado?

E o Rendimento Social de Inserção? Ora, deixem-me lá adivinhar: esses sim, é que não querem trabalho.

Ah, ah, ah, lá vou eu ser, mais uma vez, ingénuo (uma vez ingénuo, ingénuo para sempre, não é?). Mais uma vez, será que haverá pais, e aqui a excepção não é regra, que quer que o seu filho ou filhos passem fome, não tenham roupa para vestir, não tenham brinquedos, não tenham amigos, concluindo, seja um renegado da sociedade, porque esse pai prefere estar em casa, em vez de ir trabalhar.

Irrita-me a arrogância da elites. O olhar de cima para baixo. IRRITA-ME!

Só falta, agora, virem a público afirmar que os culpados desta "bagunça" económica que afecta o bem estar de um enorme número de famílias, já por várias vezes retratada por actos de desespero de pais, é culpa de quem trabalhava.

Essa elite tem unicamente como objectivo aumentar o estigma de se ser desempregado ou ter que sobreviver com o RSI. Mas, por se ter perdido um trabalho, não se é um homicida. O desempregado continua a ser um pessoa, tem a o direito à sua dignidade. Tenho dito!

Até ao próximo post!


Sem comentários: