quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Guarda, Tens Cultura?

Como anda a cultura na Guarda?

Ou melhor, como vai ser a cultura na Guarda?

Faço a pergunta porque estou preocupado com o futuro da cultura na Guarda. Neste momento, o Teatro Municipal da Guarda (TMG) deixou de ter director. Quanto aos acontecimentos e o desenrolar dos mesmos que, levaram à exoneração do director, não irei tecer quaisquer comentários. Os interlocutores que se entendam. O que me resta é a preocupação com o futuro da cultura na Guarda.

Pode-se concordar mais ou menos com as opções programáticas para o TMG, mas o importante, ao longo do tempo de vida do nosso teatro local, a população teve acesso a espectáculos únicos. Durante este tempo proporcionou cultura, não só para os locais, mas também para pessoas que se deslocavam à nossa cidade. É um equipamento de referência. Como será daqui para a frente?

O episódio da exoneração do director do TMG é um dos primeiros exemplos no ataque à cultura. Agora junta-se outro, o fim da "Agenda Guarda", anunciado de forma seca e sem qualquer justificação no Facebook da Culturguarda, verifiquem:


A referida publicação era uma referência na divulgação de eventos culturais, e não só, do nosso concelho, dando a oportunidade às colectividades locais e outras entidades de ,publicitarem as suas actividades. Mostrava a dinâmica institucional local, mantinha as pessoas devidamente informadas. Acabou!

Sem qualquer explicação... Será que irá continuar em outro formato? Será que a CMG irá contratualizar o serviço a outra entidade? Os cidadãos guardenses merecem saber qual é o motivo de tal decisão.

O PSD nacional já nos habituou a cortes cegos, sem justificação e resultados positivos, será que o modelo vai ser transposto para a Guarda? A nível nacional o Governo deu o sinal de como é que vê a cultura, passando o ministério para uma mera secretaria de estado. A nível local, será que vamos assistir a algo de idêntico, passando de uma entidade que já tem provas dadas na divulgação da cultura, a Culturguarda, para um mero núcleo de animação cultural?

Até um próximo post!

2 comentários:

Américo Rodrigues disse...

A Culturguarda explicou a seguir, num comentário, por que deixou de fazer a agenda.

Nuno Laginhas disse...

Boa noite Américo Rodrigues,

Agradeço o esclarecimento. Eu próprio, antes de escrever o artigo também o já tinha visionado.
Continuo a pensar que não há uma explicação plausível para o fim da Agenda. Daí ter escrito este artigo.
Sei que a Agenda Guarda era um serviço encomendado à Culturguarda. Era um documento de extrema importância para a divulgação de diversas actividades. E agora?
Falta essa justificação, pois a que foi publicada, em comentário ao próprio post, não informa das razões, correcto?
As questões colocadas continuam, em meu ver, a ter razão de existirem. Mas se acha que estou errado, por favor, esclareça-me.
Um cordial abraço.